Sistema Eletrônico de Administração de Eventos da UFGD, Encontro Científico da VIII Semana Acadêmica de Relações Internacionais

Tamanho da fonte: 
O BRASIL PELA REFORMA DO CONSELHO DE SEGURANÇA DAS NAÇÕES UNIDAS: O VOO PERMANENTE DO ÁGUIA DE HAIA
JOÃO GABRIEL MOURA FERREIRA LEITE

Última alteração: 2019-10-21

Resumo


A notável participação do jurista baiano, Ruy Barbosa, na Segunda Conferência Internacional da Paz de Haia completa 110 anos em 2017. Mais de um século, o trabalho de Ruy em Haia proporciona à política externa brasileira um patrimônio diplomático, do qual o país o incorpora para enfrentar os desafios do século XXI. Em um cenário, cujas potências responsáveis pela segurança internacional não
conseguem responder a crises humanitárias e a guerras civis, novas forças emergem a fim de adequar os mecanismos de segurança e manutenção da paz às realidades do século XXI. É nesse contexto que o Brasil lidera a campanha pela reforma do Conselho de Segurança das Nações Unidas. Como a tese de
Ruy Barbosa da Igualdade Jurídica dos Estados representa o compromisso histórico da diplomacia brasileira com a democratização do Sistema Internacional, o presente artigo relembra a participação brasileira na Segunda Conferência da Paz de 1907 para estabelecer relações do trabalho de Ruy em Haia com os anseios atuais da diplomacia brasileira pela reforma do Conselho de Segurança. Para isso, foram
utilizados livros, artigos, websites, revistas de relações internacionais e discursos de diplomatas
brasileiros, até mesmo do próprio Ruy Barbosa.


Texto completo: PDF