Sistema Eletrônico de Administração de Eventos da UFGD, Encontro Científico da VIII Semana Acadêmica de Relações Internacionais

Tamanho da fonte: 
A LOGÍSTICA DE TRANSPORTE DA SOJA NO BRASIL: POLÍTICAS PÚBLICAS QUE ATINGEM A COMPETITIVIDADE AGRÍCOLA INTERNACIONAL
Thais Silva Alessandra da Silva

Última alteração: 2019-10-21

Resumo


Na década de 90 existiu um otimismo na exportação de grãos, em especial, da soja brasileira, e a disseminação da cultura sobre e para além do Sul. Após a expansão da cultura da soja para o Centro-Oeste e Cerrado, é conhecido como “fronteira agrícola”. E a cultura de grãos, em especial, da soja passou a ser vista em vários Estados dessas regiões, em especial do Mato Grosso do Sul. As commodities agrícolas fazem parte de 40% da exportação brasileira, e esta tem crescido de maneira significativa na economia do Brasil. O transporte da cadeia produtiva de soja no Brasil pode ser realizado de três maneiras: hidroviária, ferroviária e rodoviária. Já no Mato Grosso do Sul é visto seu escoamento preferencialmente pelos meios rodoviários para Portos no Sul e Sudeste de Brasil, que possuem como destino países como a China e Japão. Esse escoamento por meios rodoviários possui a infraestrutura vista como precária, que prejudica a competição internacional do país e os produtores agrícolas que buscam transportar seus grãos. Para amenizar o “gap logístico” se vê a partir da década de 90 a realização de políticas públicas que idealizam pela melhoria da infraestrutura do transporte logístico, causando consequências para os produtores que transportam grãos.

Texto completo: PDF